Impressora de etiquetas RFID moderniza distribuição de parceira da Adidas nos Estados Unidos

Com a impressora de etiquetas, a empresa consegue monitorar a distribuição no nível de item

A atualização da impressora de etiquetas e do sistema de automação da Agron inc., representante da Adidas na América do Norte, elevou a qualidade e segurança do seu processo de distribuição. Segundo a empresa, esta foi uma exigência de seu cliente, que alinhou as técnicas de logística de toda a sua cadeia mundial. “A Adidas é uma marca presente no mundo todo, e disputa com a Nike o posto de maior empresa de material esportivo do planeta. Em uma briga de gigantes como essa, muitos detalhes fazem diferença. E garantir que seus produtos cheguem ao consumir é base que sustenta o negócio. De que adianta um sistema de amortecimento revolucionário, se ao chegar na loja, o consumidor não encontra o produto?”, comenta o consultor Juan Yapo, especializado em marketing esportivo.

Esta renovação do sistema, e da impressora de etiquetas que identifica os produtos, ocorreu em grande escala, permitindo à Agron manter o seu volume de produção, que gira em torna de trinta mil unidades a cada semana. “A implantação de novos sistemas dentro de um processo de produção em andamento é sempre complicado, porque o projeto deve prever uma adaptação da estrutura já existente a nova realidade. E além dessa sincronia, é importante que a mudança possa ser feita de forma ágil e rápida, para que não haja prejuízos ao cliente pela interrupção da produção”, explica o engenheiro de produção Alexandre Almeida.

impressora de etiquetas

impressora de etiquetas

O objetivo de usar novas impressoras de etiquetas é a mudança na forma de rastreamento, com a marcação individual de cada item, e não só do lote completo. Segundo o consultor de logística Fabiano Moriachi, essa é uma tendência do mercado, em especial o de varejo, que lida com um número grande de unidades e com uma distribuição pulverizada desses produtos. “Com isso, se torna possível aumentar a precisão do estoque, melhorar a prevenção de perdas e ainda facilitar o self-checkout, sistema em que o próprio consumidor registra e paga suas compras através de uma terminal computadorizado de atendimento”, acrescenta Fabiano.

O novo modelo de impressora de etiquetas usa a identificação por rádio frequência para marcar as caixas. Os adesivos contém as informações do produto em três “línguas”: em texto, código de barras, e em um slay RFID embutido na etiqueta e codificado pela mesma máquina. “Na verdade, o slay é um espécie de transponder, contendo um microchip e uma minúscula antena em espiral, que é capa de interagir e responder à um sinal especifico de rádio. Ele pode, entre outras funções, passar os dados do produto e sua localização”, diz o engenheiro de telecomunicação Roberto Ruiz.

Com a orientação da MSA Systems, que criou o novo sistema de estoque, a Agron trocou a impressora de etiquetas da linha de produção por um modelo atualizado da mesma fabricante, que se adaptou perfeitamente às suas necessidades. A perfeita sincronia entre o novo equipamento e o sistema foi o fator preponderante para o sucesso do projeto. “Com o sistema controlando o estoque e associando a cada produto os números de série na etiqueta RFID, a missão da Agron para cumprir a nova demanda de seu maior cliente foi cumprida. E com muito êxito. São iniciativas como estas que constroem empresas de sucesso”, finaliza o consultor de marketing Juan.