Paineis videowall dão imagem futurista aos estúdios de TV

O videowall serve de apoio aos apresentadores durante as transmissões

A tecnologia do videowall é tão impressionante, e agrega tanto impacto visual, que a cada dia ela está presente onde menos se espera. “É estranho pensar em usar uma TV para fazer TV”, afirma o jornalista Caio Pimenta, “mas nos últimos anos, as nossas emissoras tem apostado nessa ferramenta”, aponta Caio, que está preparando uma tese de mestrado sobre o assunto.

O videowall pode ser considerado como uma evolução do uso de monitores para a produção dos programas televisivos. Em meados da década passada, o mercado de TVs no Brasil foi sacudido com a popularização dos modelos de tela plana. Com imagem e desempenho muito superior à geração anterior, o plasma, lcd e, mais recentemente, o led dominaram o mercado de TVs e monitores, e posteriormente, tablets e celulares. E ao contrário do que se imagina, o videowall é montado com monitores especiais e não TVs.

videowall cnn

videowall cnn

Antes do videowall ganhar seu espaço, as foram as flat TVs que abriram caminho para a sua utilização dentro dos estúdios. Tanto, que vivemos um momento de transição. Muitos programas ainda utilizam um único monitor decorando o espaço. “Com o uso de monitores cada vez maiores, e o avanço da tecnologia, se tornou mais viável a construção do videowall, modificando também a estrutura e o posicionamento dos outros elementos do estúdio. Vivemos uma revolução em termos práticos e de design”, comenta a produtora Érica Palomino, funcionária do SBT.

“Com o videowall, quem comanda o telejornal consegue interagir com elementos externos, como correspondentes em outras cidades ou países, gráficos, vídeos ou links ao vivo de forma muito mais dinâmica”, nos conta Sérgio Malta, professor de telejornalismo da Unesp. “Nosso tipo de jornalismo é diferente. Outras mídias também se beneficiam dos progressos tecnológicos, mas para o leitor de um jornal ou revista, o programa de diagramação, técnicas de impressão, meios de comunicação para receber informações não estão aparentes, ele só vê o produto pronto. Na TV, tudo é mais aparente. Se você analisar um estúdio atual com um de vinte anos atrás, temos a impressão de termos voltado muito mais tempo, as mudanças foram muito rápidas nos últimos anos”, acrescenta o professor, que confessa, “essas transformações deixaram as coisas mais fáceis de fazer”.

O videowall consiste em uma série de monitores LFD, são modelos especiais voltados para o alto desempenho em ambiente profissional. Eles podem ser posicionados em qualquer ângulo de inclinação, e serem posicionados tanto de forma horizontal, paisagem, ou vertical, retrato. Este tipo de monitor também permite o uso por longas horas sem desgaste com o passar do tempo, alguns podem permanecer ligados 24/7. Em sua programação de fábrica, o monitor LFD já oferece em seu menu a opção de videowall, bem intuitiva, inclusive com um guia de posicionamento, em um eixo x-y, daquela unidade dento da estrutura.

Versátil e extremamente útil, o videowall traz beleza e praticidade à tarefa diária dos jornalistas em nos informar.